Estimativas apontam para ‘espetáculo’ da safrinha de milho

Fonte: SNA.


A chamada safrinha responde pelo grosso da produção brasileira de milho e, beneficiada pelas chuvas, se encaminha para ser um “espetáculo”. A avaliação é do vice-presidente da SNA Helio Sirimarco, baseado nas projeções das consultorias do setor que mostram estimativas de aumento da produção do grão de mais de 20%.

“Assim como está ocorrendo com a safra de soja, a safrinha está sendo beneficiada pelo tempo favorável dos últimos meses, após um plantio dentro de uma janela ideal”, explica Sirimarco.

A estimativa de colheita da safrinha, em boas condições de desenvolvimento, melhorou bastante e deve compensar as perdas ocorridas por causa da estiagem durante a safra de verão. “Várias consultorias estão divulgando estimativas em linha”, opina o vice-presidente da SNA.

A Safras & Mercado elevou a previsão para a segunda safra de milho 2018/19 no centro-sul do Brasil, para 68.16 milhões de toneladas, de 62.8 milhões de toneladas na previsão anterior. Segundo a consultoria, a primeira safra de milho, de verão, totalizou 24.56 milhões de toneladas no centro-sul.

Somando-se ambas e aliando-as às perspectivas para Norte/Nordeste, a Safras & Mercado estima que o Brasil vá produzir 99.56 milhões de toneladas de milho em 2018/19, contra 93.30 milhões de toneladas na projeção anterior, um aumento de 24,35% na comparação anual, ressalta o executivo.

Previsões são elevadas

Outra consultoria, a Agroconsult, estimou no final do mês de março (dia 29) que o Brasil produzirá um recorde de 70.6 milhões de toneladas de milho na segunda safra 2018/19, contra 68.9 milhões de toneladas da projeção de fevereiro. Caso se confirme, o volume representaria um aumento de 31% em relação às 53.9 milhões de toneladas de 2017/18, um ciclo marcado por condições climáticas adversas.

“É o plantio de milho safrinha mais precoce que a gente já teve. E está chovendo bem. A área plantada da segunda safra deverá alcançar os 12.3 milhões de hectares, versus os 11.5 milhões de hectares em 2017/18”, acrescenta Sirimarco.

Segundo a Agroconsult, considerando a primeira safra, de verão, o Brasil deve colher neste ano 97.5 milhões de toneladas de milho, versus cerca de 80 milhões de toneladas em 2017/18 e praticamente em linha com o recorde de 2016/17.

Em relações às exportações, a Agroconsult estima que o país embarque 31 milhões de toneladas, ante as 32 milhões de toneladas consideradas anteriormente.


Publicado: 11/04/2019 por COOASAVI

ASSINE NOSSA
NEWSLETTER!