Produtores assistidos pelo ATeG fazem curso de Casqueamento em Aiuruoca, Baependi e São Vicente

Fonte: FAEMG.


Trinta e dois produtores rurais, assistidos pelo Programa de Assistência Técnica e Gerencial (ATeG), com foco em Bovinocultura de Leite, nos municípios de Aiuruoca, Baependi e São Vicente de Minas, participaram, recentemente, do curso Trabalhador da pecuária (bovinos leite) / Casqueamento.

De acordo com o técnico do ATeG, Marcelo Cunha, a demanda surgiu devido à verificação de casos comuns nas três cidades. “Durante nosso trabalho de assistência técnica e consultoria, verificamos problemas comuns entre os produtores da região. Com as mudanças recentes, quando o ATeG passou a ser coordenado pelo Senar Minas, ficou mais fácil corrigir tais problemas porque basta repassar as demandas ao Escritório Regional para conseguirmos a realização dos cursos via Formação Profissional Rural do Sistema Faemg/Senar Minas”.


Cunha se refere à mudança efetivada no fim do ano de 2018, quando a coordenação do ATeG, desenvolvido com recursos do MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), passou do INAES (Instituto Antonio Ernesto de Salvo) para o Sistema Faemg/Senar Minas. O Mapa Leite é fruto de uma parceria entre o Ministério da Agricultura e o Senar.

De acordo com o técnico, o ATeG vem sendo desenvolvido naquela região há cerca de 24 meses. “Antes do curso de Casqueamento, realizado nos três municípios, em Aiuruoca, foram realizadas três capacitações, nas áreas de cria e recria, inseminação e alimentação. Ao todo, 18 produtores foram capacitados. Em São Vicente de Minas, foram duas capacitações, voltadas para qualidade de leite e alimentação”


No caso dos cursos de Casqueamento, ministrados pelo instrutor José Francisco Mindêllo Lavalle, Cunha explica que, para corrigir as falhas, o produtor teria um custo alto com a contratação de um profissional. “Com os cursos, foram corrigidos os erros, e a avaliação foi muito positiva. Na semana seguinte ao curso de Baependi, por exemplo, tive feedback de produtores que já estavam casqueando. Além disso, algumas comunidades se juntaram para a compra do tronco usado no processo de casqueamento”.

Os cursos em Baependi e Aiuruoca foram mobilizados por Maura Pereira Maciel e, em São Vicente de Minas, por Neuzira Aparecida da Costa.

* Texto elaborado por Aline Furtado (Juiz de Fora). 

Publicado: 24/04/2019 por COOASAVI

ASSINE NOSSA
NEWSLETTER!