Tripanossomose: morte de bovinos preocupa autoridades e produtores rurais no Norte de MG

Fonte: G1 Grande Minas / via Milk Point. 


Produtores rurais de São Francisco (MG) estão preocupados com a morte de animais na região. Em apenas duas propriedades, 25 já faleceram. Segundo o Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), a suspeita é de que as mortes tenham sido causadas pela tripanossomose bovina, uma doença até então sem registros no Norte de Minas Gerais.

O Sindicato dos Produtores Rurais de São Francisco tem relatos de que outros fazendeiros também estão com o mesmo problema, a estimativa é de que pelo menos 80 animais morreram após apresentarem febre, perda de peso, fraqueza muscular e diminuição do leite. A morte ocorre, em média, até seis dias após os primeiros sintomas da doença.

"Quando a gente bate o olho sente que o animal está com problema. No dia a dia, os animais ficam alegres, satisfeitos, comendo e bebendo”, fala José aparecido Leite, vaqueiro de uma propriedade rural.

“Fiquei sabendo que um vizinho em um raio de 20 quilômetros, tinha tido o mesmo problema e tinha perdido em torno de 18 a 20 rezes, o que me deixou muito preocupado, é algo que não acontecia, veio acontecer neste ano e o prejuízo é enorme”, fala o produtor rural Luiz Rocha Neto

Sobre a doença

Marco Túlio Pelaquim, coordenador regional do IMA, explica que em outras regiões de MG, há registros de que a doença tenha se propagado por meio do compartilhamento de agulhas entre animais portadores do parasita, que se aloja na corrente sanguínea. “O produtor sai para buscar bovinos de uma qualidade genética melhor, melhorar o rebanho, produtividade e esquece das doenças que são devastadoras e não exigem exames necessários durante a compra, o que é uma forma importante de prevenção”, disse ele.

Importância de notificar autoridades

O IMA e do Sindicato dos Produtores Rurais de São Francisco, promoveram uma reunião, um veterinário alertou sobre os sintomas da doença e falou também sobre a importância de se notificar as autoridades caso sejam registrados casos suspeitos e confirmados da tripanossomose bovina.

“Se a gente soubesse antes, nós tínhamos ajudado para que o prejuízo fosse menor. Estamos orientando os produtores e passando o protocolo de prevenção e tratamento, destacando que eles devem procurar pelo médico veterinário e garantir que a notificação ao IMA seja feita”, finaliza Marco Túlio.

“Fizemos uma lista de produtores interessados em fazer exames nos animais para procurarmos por um laboratório para onde os materiais colhidos possam ser mandados para análise”, diz José Botelho, presidente do Sindicato Rural.

Imagem:  Reprodução / Inter TV

Publicado: 29/10/2019 por COOASAVI

ASSINE NOSSA
NEWSLETTER!