Alta no custo de produção de leite é desafio para produtor neste 2º semestre

Fonte: Estadão / via Milk Point.


O cenário de custos para o produtor de leite deve continuar desafiador ao longo do segundo semestre, considerando a forte demanda interna por rações e o alto preço do insumo, refletindo a expansão das produções de carnes, sobretudo de aves e suínos. A avaliação é da consultoria Agro do Itaú BBA, em relatório divulgado hoje.


Além disso, com a chegada da safra de leite de inverno da Região Sul, a tendência é de aumento sazonal da captação, o que em geral se reforça no último trimestre do ano com o aumento da produção do Sudeste. "Com cenário de custo mais pressionado, é importante que os preços do leite se sustentem, a despeito do aumento sazonal da oferta, para que a produção não seja desestimulada", constata o Itaú BBA.


O banco pondera que a atratividade da vaca para abate está maior do que para a produção de leite, o que pode estimular o produtor a reduzir o rebanho, caso ocorram pressões adicionais das cotações de leite. Atualmente, a arroba de vaca em São Paulo equivale a 130 litros de leite, 39% superior em relação a junho do ano passado, que era de 94 litros/arroba.


Para os laticínios, apesar dos melhores spreads até o momento, o desafio será a disputa pela matéria prima, que pode se acentuar caso as margens mais apertadas desestimulem o produtor.



Outro ponto de atenção diz respeito à duração do efeito renda causado pelos auxílios emergenciais. Caso o fim de tal suporte à renda ocorra sem a devida recuperação da economia, o “apetite” do consumidor poderá ser afetado e provocar impacto nas cotações do leite.

Publicado: 28/07/2020 por COOASAVI

ASSINE NOSSA
NEWSLETTER!